Porque odeio discussões rasas

Incrível como algumas pessoas pensam ser “melhores” que outras por não assistirem a reality-show, enfatizando o asco pelo global Big Brother. Será que elas sabem responder quem foi que instaurou essa ilusória distinção entre o que é bom e o que ruim, na música, nos livros, na televisão, nas artes de forma geral?

Às futuras críticas, antecipo minha rejeição ao discurso raso de que existe “coisa melhor” na televisão, ou que deveriam desligá-la para ler um, novamente, “bom livro”, “bom filme”, “uma boa peça de teatro”. Hierarquias de gosto e de consumo cultural são criadas por interesses também discutíveis: o que é confeccionado para efeito de massa, tem necessariamente que ser ruim? Por exemplo, um trailer de ação com Angelina Jolie, Brad Pitt deve, por princípio, ser menos interessante que um filme francês, sueco, tcheco? Ou ainda, um best-seller é ruim por ser lido por muitos?

Podemos discutir o que é “bom gosto” mesmo? TUDO pode ser alvo de crítica dependendo da perspectiva do crítico. Inclusive, sempre quando se inicia uma nova temporada desses shows grande parte dos universitários, pseudo-intelectuais intitucionais, se prontifica em assumir uma postura do “não vejo, não gosto” e com isso, outra parcela, não assume seu consumo cultural com medo de um “bullyng” intelectual. Quer saber, dá um tempo!

Meu posicionamento é claro: gosto se discute, mas não se despreza. Para justificar esse “post”: da mesma forma que minha time-line nas redes-sociais pode ser invadida por movimentos contrários aos tais reality’s posso declarar meu gosto simplório por reality-shows. Ignorar e desprezar o consumo alheio é, isso sim, de um mau gosto terrível e consequentemente gera hipocrisia e um sem número de idiotas!

Por fim, indico o aprofundamento de uma das teorias de Gramsci sobre os “intelectuais orgânicos”. Se sua opção é apenas criticar sem ampliar as possibilidades de compreensão, sinto muito ter desperdiçado seu tempo!

Anúncios

7 Comentários (+adicionar seu?)

  1. lud_mill92
    jan 26, 2011 @ 11:18:06

    Quero discutir sobre isso. BBB é um lixo, defendê-lo é ridículo para alguém com seu nível de cultura, penso eu.

    Responder

  2. Gaby Rodrigues
    jan 26, 2011 @ 11:22:41

    Ui…. Essa doeu! kkkkkk
    Há um livro muito bom de George Orwell , 1984, que, aparentemente, segundo nossa linda amiga japonese, Simone, que baseou o BBB… Acho q pra entender o BBB, é necessário ler esse livro…. Eu apenas não entendo pq as pessoas possuem essa obsessão em saber da vida das pessoas! E o pior, pessoas rasas e futeis demais!
    bjo

    Responder

  3. Trackback: Tweets that mention Porque odeio discussões rasas « contraposição -- Topsy.com
  4. B. Caroline
    fev 01, 2011 @ 16:11:27

    Bem, como você disse, gosto se discute, cada um opina mas cada qual pensa e gosta do que quiser. Sempre antes de criticar algo sempre procuro me interar do que se trata, assim não falo do que desconheço. Por exemplo, por falar em Crepúsculo. Eu não gosto, mas não saio matando, xingando nem batendo em quem gosta. Só rio, digo porque não gosto e fim. E sim, li os quatro livros da série, vi os três filmes, dois dele no cinema. Atores interessantes, história nem tanto, trilha sonora riquíssima. Claro que defendo vampiros com pontos fracos, afinal, se é humano, ainda que desmorto, tem que se ferrar em algum momento. É mais próximo de associar ao tempo, à nossa realidade, do que simplesmente deuses que cintilam ao sol. As vezes, o que julgamos ruim, por exemplo, pode incitar muita gente a fazer o que não fazia antes. Alguns odiavam vampiros antes de Crepúsculo, hoje não mais, não tanto. Antigamente não se via tantas crianças e, principalmente adolescentes gastando mesada em livros e mais livros. De certa forma, Meyer levou ao mundo o que a maiorida das escolas não conseguiram em mais de século: instigar a leitura, a pesquisa. Ok, não é pertinente falar de Crepúsculo, uma vez que apenas citei como exemplo. Mas gostos, quando colocados sobre a mesa ao invés de pré-julgados e ridicularizados, ensinam mais do que destroem a capacidade do ser humano em argumentar. Por exemplo, eu propriamente dizendo adorei o BBB passado, sem porque nem pra quê, não viro fã mas também não sou anti-reallitys. Já assisti Tila Tequila. Assisti A Fazenda 3 todos os dias, ri, achei graça, fiquei esperando e apostando em quem seria eliminado. E era um assunto a mais em comum com a família. As vezes rola o pré-conceito sobre programas de tv, reallitys e tudo o mais, mas é bem verdade que alguns deles promovem discussões que, antigamente, não pensavamos ser capazes de empatar.

    Enfim, mais um tópico ótimo, estou me apaixonando pelo blog, ó dels, vou resenhá-lo qualquer hora.

    ;***

    Responder

  5. formal dresses grand rapids mi
    dez 27, 2013 @ 22:02:42

    Simply desire to say your article is as astonishing. The clearness on your publish is simply nice and that i could think you’re a professional on this subject. Fine with your permission let me to snatch your RSS feed to stay updated with approaching post. Thanks a million and please continue the rewarding work.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: